Movimento Energia do Bem produz protetores faciais

As primeiras ações do movimento Energia do Bem, criado pela Energisa para ajudar no combate à pandemia de Covid-19, já estão acontecendo em Minas Gerais e Nova Friburgo. A empresa em parceria com o Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG) está produzindo protetores faciais que serão doados a unidades de saúde da nossa área de concessão.

“Estamos conscientes da gravidade do que está acontecendo no mundo neste momento e esta parceria nos permitirá contribuir com a proteção dos profissionais da saúde que estão precisando de equipamentos de proteção individual (EPI), devido ao alto grau de disseminação do coronavírus”, comentou o diretor Técnico e Comercial da Energisa Minas Gerais e Energisa Nova Friburgo, Fernando Costalonga.

Os protetores faciais estão sendo fabricados com insumos doados pela Energisa em impressoras 3Ds que compõem os laboratórios onde são desenvolvidos pela empresa e o CEFET dois relevantes projetos de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) para o setor elétrico. Toda a execução do trabalho está sendo coordenada de forma voluntária pelos professores da instituição.

O Grupo Energisa criou o Energia do Bem para viabilizar ações emergenciais que ajudem a superar a crise humanitária provocada pela doença. Trata-se de uma rede de atuação orgânica, que já reúne 13 parceiros, envolvidos em iniciativas que incluem obras elétricas em unidades públicas de saúde e captação de recursos para assistência a idosos. Também foi criado o portal Energia do Bem, com informações confiáveis sobre a doença e conteúdo para reduzir os impactos do isolamento social.

O Grupo Energisa investirá R$ 5 milhões no movimento em todos os estados onde atua. Os recursos serão aplicados em diversas frentes mapeadas junto ao poder público local. Em Minas Gerais e Nova Friburgo, também estão previstas a doação de máscaras faciais para profissionais da área de saúde e divulgação de dicas de saúde e prevenção do contágio nos municípios com menores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) da nossa área de concessão.

“O foco é sempre em ações orgânicas e dinâmicas, mas articuladas com as necessidades do poder público em cada localidade”, afirma a Vice-Presidente de Gente e Gestão do Grupo Energisa, Daniele Salomão.

Entre os parceiros envolvidos no movimento estão Confederação Nacional da Indústria (CNI), IEL – Instituto Euvaldo Lodi, Sesi/Senai e Agência de Desenvolvimento do Polo Audiovisual da Zona da Mata (MG) e Evoé. A Unesco fará uma curadoria de conteúdos educativos para o portal.

Energisa apoia produção de testes para diagnóstico de Covid-19 pela Fiocruz  AQUI

Esta entrada foi publicada em EVENTOS E SOLUÇÕES. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe uma resposta